15 de julho de 2019

Falcon - editor de SQL livre e de código aberto com visualização de dados em linha

0 comentários
Falcon é um editor de SQL livre e de código aberto com visualização de dados em linha. Atualmente, ele suporta a conexão com o RedShift, MySQL, PostgreSQL, IBM DB2, Impala, MS SQL, Oracle, SQLite e outros (para conectar-se ao Oracle, consulte as instruções para instalar o Oracle Instant Client gratuito necessário).

BAIXANDO E EXECUTANDO A VERSÃO PORTABLE

MODO GRÁFICO

Para baixar e executar a versão portable mais recente do programa:
0 - baixe o aplicativo neste link;
1 - abra seu navegador de arquivos e navegue até à pasta do download;
2 - clique com o botão direito sobre o arquivo baixado. No menu que aparece, clique em "Propriedades":

3 - Clique na GUIA "Permissões". Em "Executar", selecione "Qualquer um". Clique no botão "OK" para finalizar sua escolha:

4 - Agora para executá-lo basta fazer clique duplo sobre o arquivo. No diálogo que aparece clique em "Executar":

MODO TEXTO

Para instalar a versão portable mais recente do FreeCAD, abra um terminal e corra os seguintes comandos:
wget -c https://dl.opendesktop.org/api/files/download/id/1563132499/s/7be5cfb0a169c9a6aeea6113a932066c8282ad1609f40e214c6b52210b83c1dfa0ea91edc3ab19c1ffeb860fc4066dc518245596f81ed29f2a4af5df03553e7a/t/1563202962/lt/download/falcon-sql-client-3.0.3-x86_64.AppImage  ENTER 
chmod a+x falcon-sql-client-3.0.3-x86_64.AppImage  ENTER 
./falcon-sql-client-3.0.3-x86_64.AppImage  ENTER 

Ou faça o download neste link.

EXECUTANDO O PROGRAMA

A interface do programa:
disponível para:
sob a MIT License
página do projeto: github.com/plotly/falcon

Bom trabalho!

fonte
Continua »

6 maneiras diferentes de exibir endereço IP em sistema GNU/Linux

0 comentários
Ter conhecimento dos comandos associados à manipulação da pilha de rede do sistema operacional Linux é importante para os administradores do sistema Linux. A maioria dos comandos que permitem aos usuários modificar a rede do sistema também nos permite obter informações sobre a configuração de rede dos servidores. Esta informação inclui principalmente endereços IP e tabelas de roteamento. Neste artigo, vamos analisar cinco maneiras diferentes pelas quais podemos exibir as informações de endereço IP sobre o nosso servidor.

Método 1: Usando o comando ifconfig

O comando ifconfig é o comando mais usado para exibir e modificar endereços IP no sistema. O nome ifconfig é curto para a configuração da interface. Quando usado sem opções, ou quando usado com a opção -a, exibe informações sobre as interfaces disponíveis no sistema e o endereço IP configurado nessas interfaces.

O comando ifconfig faz parte do pacote "net-tools" que está disponível nos repositórios oficiais da sua distribuição. No Debian e distribuições derivadas, abra um terminal e execute os seguintes comandos (digite a senha de administrador se esta for solicitada e tecle ENTER para prosseguir):
su -  ENTER 
apt install net-tools  ENTER 

Agora execute o seguinte comando:
ifconfig  ENTER 

Se você está trabalhando em um script e quer que apenas o endereço IP seja mostrado, então você pode usar um comando awer:
ifconfig | awk '/inet 19/ {print $2}'  ENTER 

Método 2: Usando o comando IP

O comando ifconfig, embora ainda seja comumente usado, é considerado obsoleto e o comando ip é aquele que tomou seu lugar. O comando ip, quando usado com as opções 'a' ou 'addr show', fornece as mesmas informações que o comando ifconfig.
ip a  ENTER 

Método 3: Usando o comando hostname

O comando hostname quando chamado com a opção -I exibe os endereços IP configurados nas interfaces atualmente ativas:
hostname -I  ENTER 

Método 4: usando o comando nmcli

O comando nmcli é uma ferramenta de linha de comando para criar, editar, exibir, excluir, ativar e desativar conexões. Quando usado sem opções, exibe as interfaces ativas no sistema e os endereços IP definidos nessas interfaces:
nmcli  ENTER 

O “nmcli device show” exibe informações mais detalhadas sobre as interfaces:
nmcli device show  ENTER 

Método 5: Usando o comando curl

Podemos usar o comando curl para exibir informações sobre endereços IP. Caso ainda não tenha instalado o pacote curl, execute como administrador:
apt install curl  ENTER 

Em seguida é só executar:
curl ifconfig.me  ENTER 

Ou:
curl api.ipify.org  ENTER 

Ou:
curl ident.me  ENTER 

Método 6: Usando o comando ip route show

Podemos usar o comando ip route show para exibir informações sobre interfaces e endereços IP designados, mas precisamos canalizar a saída para awk ou grep para filtrar os resultados:
ip route show | awk '/dev/{print $3" "$9}'  ENTER 

Espero ter ajudado.

referências:
opensource.com/how-find-ip-address-linux
Continua »

Como instalar o Wine 4 no Debian 10 Buster

0 comentários
Wine é um camada de compatibilidade para sistemas operativos UNIX que permite a execução de aplicações desenvolvidas para ambientes MS Windows nativamente em outros sistemas operacionais. Wine (acrónimo recursivo para WINE Is Not an Emulator, isto é, WINE Não é um Emulador). Por reimplementar as bibliotecas do Windows, o Wine não é um emulador, não fazendo qualquer emulação para executar software para Windows.

A implementação da API do Windows faz-se através da utilização de APIs e funções específicas de ambientes UNIX, sendo apenas necessária a implementação adicional de um carregador de aplicativos no formato PE, capaz de os converter para o formato ELF em tempo de execução.

Mostraremos aqui como instalar o Wine 4 Estável / Desenvolvimento / Instável no Debian 10 Buster.

INSTALANDO O PROGRAMA

Se você ainda não tiver feito, habilite pacotes de 32 bits:
su -  ENTER 
dpkg --add-architecture i386  ENTER 

Baixe e instale a chave do repositório:
wget -nc https://dl.winehq.org/wine-builds/winehq.key  ENTER 
apt-key add winehq.key  ENTER 

Adicione o repositório do Wine para Debian 10 Buster:
echo "deb https://dl.winehq.org/wine-builds/debian/ buster main" | tee -a /etc/apt/sources.list  ENTER 

Atualize o cache dos programas:
apt update  ENTER 

ESCOLHENDO A VERSÃO A SER INSTALADA

Instale a versão Estável:
apt install --install-recommends winehq-stable  ENTER 

Instale a versão de Desenvolvimento:
apt install --install-recommends winehq-devel  ENTER 

Instale a versão Instável (Não recomendado):
apt install --install-recommends winehq-staging  ENTER 

VERIFICANDO A VERSÃO INSTALADA

Para verificar a versão instalada, faça:
wine --version  ENTER 

A versão é mostrada na linha seguinte:

EXECUTANDO O PROGRAMA

WineHQ não inclui os recursos wine-gecko ou wine-mono. Ao criar um novo prefixo do Wine, você será perguntado se deseja baixar esses componentes:
Para melhor compatibilidade, é recomendável clicar em "Sim". Se o download não funcionar para você, siga as instruções nas páginas wiki Gecko e Mono para instalá-las manualmente.

Para instalar / executar um programa basta:
$ wine NomeDoPrograma.exe  ENTER 

Aqui iniciei um instalador de um visualizador de pdf:
A instalação foi sem problemas:
disponível para:
sob a licença: LGPLv2
página do projeto: winehq.org

fonte:
wiki.winehq.org/Debian
wiki.winehq.org/Conformance_Tests
Continua »

Plataforma de Emulação RetroArch está chegando na Steam em 30 de julho

0 comentários
No que parece ser o maior lançamento da plataforma de emulação até agora, o popular emulador RetroArch está chegando ao Steam em 30 de julho. Libretro, o desenvolvedor de software de código aberto por trás da RetroArch, fez um anúncio ontem sobre o lançamento.

O RetroArch é uma popular plataforma de emulação que pode emular um grande número de consoles de jogos retro e também pode ser usada para reproduzir uma variedade de mecanismos de jogos e aplicativos de mídia. O lançamento da RetroArch no Steam é visto como o esforço da plataforma de emulação para ampliar sua base de usuários.

Em entrevista à Ars Technica, Daniel De Matteis, da Libretro, disse que o lançamento da RetroArch no Steam, que é uma plataforma fechada, não violaria nenhuma política da vitrine. Aparentemente, a Valve não possui regras referentes a emuladores.

No anúncio, o Libretro menciona: "Embora não exista nada particularmente sobre o RetroArch ou a API do Libretro que tenha algo a ver com emuladores, a maioria usa-o para este propósito".

Não haverá diferença na funcionalidade do RetroArch quando ele for lançado no Steam daqui a duas semanas. A versão do Steam não terá a funcionalidade do Steamworks SDK ou recursos adicionais do Steam no momento do lançamento. A empresa irá explorar opções para incorporar a funcionalidade do Steam na plataforma do emulador.

Além disso, a empresa de código aberto disse que lançará inicialmente a versão do Windows. As versões do MacOS e Linux serão lançadas posteriormente.

via
Continua »

Debian lança várias correções de segurança para o cliente de email ThunderBird

0 comentários
Vários problemas de segurança foram encontrados no Thunderbird, o que poderia resultar na execução de código arbitrário, scripts entre sites, spoofing, divulgação de informações, negação de serviço ou falsificação de solicitações entre sites.

Referências do banco de dados de segurança:

No dicionário CVE do Mitre: CVE-2019-9811, CVE-2019-11709, CVE-2019-11711, CVE-2019-11712, CVE-2019-11713, CVE-2019-11715, CVE-2019-11717, CVE-2019 -11730.

CVE-2019-11719 e CVE-2019-11729 são endereçados somente para trecho, no buster O Thunderbird usa a cópia de todo o sistema do NSS, que será atualizada separadamente.

Para a distribuição oldstable (stretch), estes problemas foram corrigidos na versão 1: 60.8.0-1 ~ deb9u1;
Para a distribuição estável (buster), estes problemas foram corrigidos na versão 1: 60.8.0-1 ~ deb10u1.

Nós recomendamos que você atualize seus pacotes thunderbird.

via
Continua »

14 de julho de 2019

Como criar imagem de recuperação do Debian 10 Buster utilizando o TimeShift

0 comentários
TimeShift é um projeto que visa proporcionar para o sistema GNU/Linux uma alternativa viável ao System Restore para Microsoft Windows e Apple Time Machin. A principal característica do TimeShift é criar snapshots incrementais do seu sistema de arquivos que pode ser facilmente programado nas preferências do software, permitindo assim restaurar a sua distribuição com muita facilidade.

INSTALANDO A PARTIR DO REPOSITÓRIO OFICIAL DO DEBIAN

O programa agora está presente nos repositórios oficiais do Debian 10 Buster, facilitando ainda mais sua instalação. Você pode instalar no modo gráfico pesquisando por Timeshift na loja de aplicativos da sua distribuição, clicar no botão "Instalar" e aguardar o fim do processo:

Uma outra alternativa é o repositório do GitHub, com ele é possível instalar o Timeshift em todos os tipos de GNU/Linux, como Debian, Linux Mint, Kali OS, Arch Linux e Manjaro.

para instalar no modo texto no Debian 10 Buster, abra um terminal e corra os seguintes comandos:
su -  ENTER 
apt install timeshift  ENTER 

EXECUTANDO O PROGRAMA

Pesquise por "timeshift"no menu da sua distro. Clique no ícone correspondente para executá-lo:

A interface do programa (desktop LXDE):
Para utilizar o programa, é claro, você precisa de privilégios de administrador. Digite a senha de ROOT e clique no botão "OK" para prosseguir:
 Escolha o tipo de backup. Em caso de dúvida, mantenha a marcação padrão:
 Aguarde o utilitário realizar sua tarefa essencial de estimativa do tamanho do sistema:
 Marque, ou mantenha marcado, o disco que será usado como backup do sistema:
 Selecione o período:
 Clique no botão "Concluir" para finalizar a configuração do utilitário:
 A interface do programa:
 Para criar seu backup (seu instantâneo do sistema) basta clicar no botão "Iniciar". Aguarde o fim do processo:
disponível para:
sob a licença: GNU General Public License (GPL))
página do projeto: teejeetech.in

É isso.
Continua »

13 de julho de 2019

Firefox 68 disponível agora no Fedora

0 comentários
No início desta semana, a Mozilla lançou a versão 68 do navegador Firefox. O Firefox é o navegador padrão no Fedora, e esta atualização está agora disponível nos repositórios oficiais do Fedora.

Esta versão do Firefox fornece uma série de correções de bugs e melhorias, incluindo:

- Melhor manuseio ao usar temas escuros GTK (como o Adwaita Dark). Anteriormente, a execução de um tema escuro poderia causar problemas em que elementos da interface do usuário em uma página da Web renderizada (como formulários) são renderizados no tema escuro, em um plano de fundo branco. O Firefox 68 resolve esses problemas. Refira estes dois bilhetes do bugzilla de Mozilla para mais informação;
- A página especial sobre: ​​addons tem dois novos recursos para mantê-lo mais seguro ao instalar extensões e temas no Firefox. A primeira é a capacidade de relatar problemas de segurança e estabilidade com addons diretamente na página about: addons. Além disso, about: addons agora tem uma lista de extensões e temas seguros e estáveis ​​que foram verificados pelo programa Recommended Extensions.

Atualizando o Firefox no Fedora

O Firefox 68 já foi enviado para os repositórios estáveis ​​do Fedora. A correção de segurança será aplicada ao seu sistema com sua próxima atualização. Você também pode atualizar o pacote do firefox executando o seguinte comando:
sudo dnf update --refresh firefox   ENTER 

Este comando requer que você tenha a configuração sudo em seu sistema. Além disso, observe que nem todo espelhamento do Fedora é sincronizado na mesma proporção. Os sites da comunidade gentilmente doam espaço e largura de banda nesses espelhos para carregar o conteúdo do Fedora. Talvez seja necessário tentar novamente mais tarde se o seu espelho selecionado ainda estiver aguardando a atualização mais recente.

via
Continua »

Lançado Kdenlive 19.04.3 - Mais de 70 correções de bugs e melhorias de usabilidade

0 comentários
Enquanto a equipe está em férias de verão muito merecida, a última versão menor de pós-refatoração do KDEnLive está disponível com outra grande quantidade de correções. Os destaques incluem correção de composições e regressões de efeitos de velocidade, problemas de exibição de miniaturas de clipes na linha do tempo e muitas correções da versão para MS Windows.

Falando nisso, o próximo grande lançamento está a menos de um mês de distância e já tem alguns novos recursos legais implementados. Também foram incluidos a versão Qt no 5.12.4 e atualizados para o último MLT. Você pode pegá-lo neste link para testá-lo. Também está planejado o término do fluxo de trabalho de edição de 3 pontos e melhorias no efeito de velocidade. Fique ligado para mais informações em breve.

Confira a lista de correções neste link.

VIA APPIMAGE

O AppImage é, de longe, a solução mais simples para obter a última versão do programa. Você simplesmente adiciona permissão para executar o arquivo e depois executa-o, da mesma forma que executar um script bash. No entanto, nem tudo é 100%: Não há opção para instalar uma atualização, em caso de uma nova versão, você deve substituir toda a instalação.

O pacote AppImage não está atualizado, até a data desta postagem (07/06/2019). A versão mais recente é a alpha desta atualização:
files.kde.org/kdenlive/release

VIA FLATPAK

instalando o Flatpak no seu sistema

Se o seu sistema ainda não tem suporte ao Flatpak, para instalá-lo, execute o comando abaixo:
su -  ENTER 
apt install flatpak  ENTER 

Adicionando o Repositório FlatHub

Vamos adicionar o repositório flathub:
flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo  ENTER 

Instalando e Executando o Programa

Apartir da linha de comando:
flatpak install flathub org.kde.kdenlive  ENTER 
flatpak run org.kde.kdenlive  ENTER 

A interface do programa:
Aplicativos FlatPak disponíveis
disponível para:
sob a licença: GNU General Public License version 3 (GPLv3)
página do projeto: kdenlive.org

É isso.

via rss
Continua »
 

Copyright © TutorFree Design by Free CSS Templates | Blogger Theme by BTDesigner | Powered by Blogger